ES

ES

APRESENTAÇÃO

NO AR DESDE 01 DE JANEIRO DE 2014

Neste momento você também pode receber a Jesus Cristo como Salvador, simplesmente conversando com Ele… Em suas próprias palavras, diga de coração para Deus:

Deus, eu reconheço que tenho pecado contra Ti. Por favor, perdoa-me! Eu creio que Jesus Cristo morreu e ressuscitou para pagar o preço pelo meu pecado.
Jesus, entra em meu coração e purifica-me do meu pecado. Neste momento eu confio em Ti como meu único e suficiente Salvador.

Se você orou assim, e foi sincero, você hoje "nasceu de novo" na família de Deus, de acordo com 2 Coríntios 5.17: "E assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura: as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas."

Email

pastoraelianefcr@gmail.com

FALE COM A PASTORA QUI

segunda-feira, 15 de abril de 2019

Levando Jesus AO Whindersson Nunes.

0 comentários




Pastora Eliane

Lição 16 Pneumatologia parte 2

0 comentários

O "BATISMO NO ESPÍRITO SANTO" NO NOVO TESTAMENTO
A maioria das Teologias Sistemáticas não se dedicam a debater a questão da existência de uma "segunda experiência" com o Espírito Santo, distinta do que é recebido na conversão.
Há apenas sete passagens no Novo Testamento sobre alguém batizado no Espírito Santo. Somente em Atos 2 aparece essa "segunda experiência", em outros casos é simultâneo à conversão, como convertidos em Atos 8 (em Samaria), Atos 10 (a família de Cornélio) e Atos 19 (os discípulos de Éfeso)
A Plenitude do Espírito Santo
É muito comum pessoas e igrejas confundirem a plenitude do Espírito Santo com o batismo com o Espírito Santo. Primeiramente, começa-se com o entendimento que existe um nível espiritual no homem (1Co 2.15). Essa espiritualidade advém da maturidade no relacionamento com Deus (Rm 12.1,2).
Tendo em vista a obra do Espírito Santo no aumento da maturidade espiritual dos crentes, entende-se que a "plenitude do Espírito Santo" é a atuação dele no sentido de tornar o crente controlado por Deus. As Escrituras chamam tal experiência de "estar cheio do Espírito" (Lc 1.15,41,67; At 2.4; 4.8,31; 9.17; 13.9).
Enquanto o batismo e o selo do Espírito Santo são realidades permanentes, a plenitude é algo ocasional e pode se repetir várias vezes (At 2.4; 4.8,31). Apesar de a plenitude do Espírito ser uma atividade divina, Paulo deixa claro que há condições na vida do crente para que ela aconteça (Ef 5.18).
CARACTERÍSTICAS DA PLENITUDE DO ESPÍRITO SANTO
Produção de um caráter semelhante ao de Cristo (Gl 5.22,23).
Envolvimento evangelístico (At 2.4,41; 4.31; 5.14; 6.3,7; 11.24).
Paulo usa em (Ef 5.19-21) um imperativo, que dá a ideia de necessidade que aconteça
Resultará em Adoração, louvor, ação de graças, submissão (Ef 5.19-21)
Ser cheio do Espírito Santo não resulta sempre em falar em línguas. O ensino pentecostal normalmente tem sustentado que o sinal externo do batismo no Espírito Santo é o falar em línguas não conhecidas pelos seres humanos (também chamadas de línguas angelicais ou celestiais).
OS DONS CESSARAM?
Existe uma escola de interpretação na Teologia que considera os dons restritos ao tempo da fundação da igreja (Ef 2.20). Para eles, os dons cessaram, por isso são chamados de cessacionalistas. Segundo esse raciocínio, o grupo dos apóstolos foi restrito a apenas 12 homens (Ap 21.14). O dom de línguas teve seu uso entre a vinda do Espírito Santo (At 2.4) e a destruição de Jerusalém, em 70 A.D.
Nesse sentido, o dom agiu como um sinal aos incrédulos do juízo que recairia pela incredulidade e desobediência (1Co 14. 21,22 cf. Dt 28.49).
Contudo, a Bíblia não faz nenhuma menção específica sobre a cessação dos dons de cura e milagres. Esses prodígios serviram de sinais de identificação e validação dos ministérios de Jesus (Lc 7.18-22) e dos apóstolos (2Co 12.12 cf. Rm 15.18,19).
Os que defendem que os dons não cessaram usam frequentemente o texto em que Jesus diz "aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço e outras maiores fará" (Jo 14.12). Outras linhas teológicas afirmam que o texto de 1 Co 13:10 "quando, porém, vier o que é perfeito, o que é imperfeito desaparecerá" refere-se ao cânon do NT.
Diferentes denominações possuem ensinos específicos sobre seu posicionamento quanto aos dons. Existe inclusive uma teologia pentecostal, com abordagem específica sobre batismo, plenitude do Espírito, dons e ministérios.
Não é nosso objetivo dar a "palavra final" por isso vamos analisar o que o NT ensina sobre o assunto.
Os Dons Espirituais
Uma tarefa importante do Espírito Santo em relação à igreja de Cristo é a "concessão de dons espirituais", que são do Espírito e não da Igreja ou do cristão.
Pode-se afirmar que os dons espirituais são habilidades especiais dadas pelo Espírito Santo aos crentes com a finalidade de edificar a igreja por meio do "serviço" (1Co 12.7). Os dons são vários (1Co 12.4,5) e são distribuídos segundo a vontade de Deus (1Co 12.11).
É necessário fazer alguns alertas sobre características que os dons espirituais "não têm":
Não depende do lugar onde é usado. O dom pode ser usado dentro ou fora da igreja e em qualquer lugar do mundo;
Não é um cargo. As habilidades advindas do dom não dependem de um cargo, mas também não conferem um cargo automaticamente;
Não visa a um grupo específico. Ninguém tem ?dom? para trabalhar com crianças, jovens ou idosos, nem dom para pregar a índios ou grupo específico. Os dons são universais, podendo ser aplicados no trabalho com qualquer grupo;
Não é uma técnica especial. Não há dons espirituais para se escrever ou se tocar um instrumento.
A DISTRIBUIÇÃO DOS DONS ESPIRITUAIS:
  • São distribuídos pelo Cristo ressurreto e glorificado (Ef 4.11);
  • São distribuídos pelo Espírito Santo segundo sua vontade (1 Co 12.11,18);
  • São distribuídos a todos os cristãos (1 Pe 4.10);
  • São distribuídos ao Corpo de Cristo como um todo (1Co 12.12-27).
Os textos mais usados para abordar o tema estão em 1 Coríntios 12, e no no final do capítulo é acrescenta que existiam pessoas que são conhecidas por exercitar esses dons na igreja.
Paulo também fala no assunto em Romanos 12:6-8 e Efésios 4, conciliando-os com outros, que são chamados de ministérios.
Propomos uma síntese desses ensinamentos sobre dons e ministérios pois alguns usam o mesmo termo em grego com sentidos diferentes.
Dom
Descrição
Resultado
Profecia
Rm 12.6;
1Co 14.29-32
Falar verdades diretamente reveladas por Deus
Entender mistérios de Deus 1 Co 13.2
Serviço, socorro Rm 12.7
Ajudar a fazer a obra de Deus, ajudando os membros da Igreja
Servir a igreja e os necessitados At 6.1
Ensino
Rm 12.7;
1Co 12.28;
Ef 4.11
Comunicar verdades e aplicações das Escrituras
Entender a Palavra de Deus (At 18.26)
Exortação
Rm 12.8
Corrigir alguém que está em erro ou consolar
Encorajamento
At 9.27
Contribuição
Rm 12.8
Dar bens e posses à obra de Deus com alegria e liberalidade
Satisfazer necessidades físicas
At 9.27
Liderança
Rm 12.8
Organizar a administrar a obra do ministério
Ordem Tt 1.5
Exercer Misericórdia
Rm 12.8
Prestar auxílio a outros
Demonstrar compaixão
Apostolado
1 Co 12.28
Ef 4.11
Ser testemunha de Cristo e falar com autoridade sobre fé e prática
Apresenta os preceitos de Deus para a Igreja 1 Co 14.37
Dom
Descrição
Resultado
Evangelismo
Ef 4.11
Apresentar o evangelho, sentindo responsabilidade pelos não salvos
Entendimento do evangelho, conversão At 21.8
Pastor/mestre
Ef 4.11
Pastorear e ensinar a Igreja
Cuidado e instrução da Igreja local
At 20.28-31
Palavra de Sabedoria
1 Co 12:8
Discernir e apresentar a verdade de Deus, aplicando em situações específicas
Capacidade de aplicar a revelação
1 Jo 1.1-3
Palavra de Conhecimento
1 Co 12.8
Entender e expor sabedoria da parte de Deus sobre pessoas ou circunstancias
Entendimento da verdade em seu sentido espiritual
1 Co 2.6-12
1Co 12.9)
Confiar em Deus implicitamente para realizar feitos incomuns
Realização de tarefas, relacionamentos mais intimo com Deus
Cura
1 Co 12.9
Capacidade de curar enfermidades
Restauração do corpo At 3.6-7
Milagres
1 Co 12.10
Capacidade de realizar obras "impossíveis"
Pessoas temem a Deus At 5.9-11
Discernimento
1 Co 12.10
Identificar a realidade espiritual do que é dito
Desmascarar falsos profetas 1 Jo 4.1
Línguas
1 Co 12.10
Comunicar-se em uma língua não conhecida por quem fala
Louvor a Deus entendido por pessoas (At 2.1-12)
Interpretação de Línguas
1Co 12.10
Tornar a "língua" i

A vida é um sopro LEVANDO JESUS

0 comentários




Lição 15 Pneumatologia parte 1

0 comentários

A pessoa do Espírito Santo
O Espírito Santo não é uma força, uma energia cósmica ou a personificação do poder de Deus. Ele é uma "pessoa" da Trindade. A Bíblia aponta essa realidade:
O Espírito Santo possui atributos pessoais
  • É inteligente (Rm 8.27 e 1Co 2.10,11,13);
  • Tem emoções (Ef 4.30);
  • Tem vontade própria (At 16.6-11 e 1Co 12.11).
O Espírito Santo tem atitudes de uma pessoa:
  • Revela (2Pe.1:21);
  • Ensina (10.14:26);
  • Clama (Gl.4:6);
  • intercede (Rm.8:26);
  • fala (Ap.2:7);
  • Ordena (At.16:6,7);
  • Testifica (1Jo.15:26);
  • Tem vontade (1 Co 12.11)
  • Sente (Is 63:10, Ef 4.30 cf. At 7.51, Rm 15.30)
  • Guia os crentes à verdade (Jo 16.13);
  • Convence do pecado (Jo 16.8);
  • Realiza milagres (At 8.39);
  • ressuscita (10.3:5-8;Rm.8:11)
O Espírito Santo recebe atribuições que somente uma pessoa poderia receber:
  • Deve ser obedecido (At 10.19-21);
  • Pode-se mentir a ele (At 5.3);
  • Pode ser resistido (At 7.51);
  • Pode ser entristecido (Ef 4.30);
  • Pode ser ultrajado (Hb 10.29).
O Espírito Santo se relaciona de modo pessoal com outras pessoas:
  • Com os apóstolos (At 15.28);
  • Com Jesus (Jo 16.14);
A DIVINDADE DO ESPÍRITO SANTO
O Espírito Santo não é apenas uma pessoa. Ele também é Deus. Ele possui nomes divinos
Espírito de Deus (1Co 6.11 e 2Co 3.3);
Espírito de Cristo (At 16.7 e Rm 8.9).
O Espírito Santo possui atributos exclusivos de Deus
  • Eternidade (Hb 9.14)
  • Divindade (At 5.3-4, 2 Co 3.18)
  • Onisciência (Is 40.13; 1Co 2.12);
  • Onipresença (Sl 139.7);
  • Onipotência (Jó 33.4 e Sl 104.30).
O Espírito Santo realiza obras divinas
  • Foi o autor da concepção virginal (Lc 1.35);
  • Foi o agente da inspiração das Escrituras (2Pe 1.21);
  • Estava envolvido na criação (Gn 1.2).
  • Regenera (Jó.33:4)
É simbolizado por:
  • Fogo (Is. 4:4; Mt.3:1 1; Lc.3:16)
  • Vento (Ez.37:7-10; Jo.3:8,At.2:2)
  • Agua (Ex. 17:6; Ex.36:25-27;47:1; Jo.3:5; 4:14; 7:38,39)
  • Selo (Ef.1:13; 2Tm.2:19 Ap.7:3); (Et4:30).
  • Pomba ?
  • Azeite ? na unção dos profetas e reis
Assim como Deus, as Escrituras usam títulos para mostrar seus atributos:
  • Espírito Santo (Lc 11)
  • Espírito da Graça (Hb 10.29).
  • Espírito da Verdade (Jo 15.26).
  • Espírito da Sabedoria
  • Espírito de conselho
  • Espírito de temor do SENHOR
  • Espírito de Conhecimento
  • Espírito de entendimento
  • Espírito de fortaleza
  • Espírito da Glória(1 Pe 4.14).
  • O ESPÍRITO DE ARDOR - (Is 4.4,5).
  • O ESPÍRITO DE ADOÇÃO - (Rm 8.15).
  • O ESPÍRITO DA PROMESSA - (Ef 1.13,14).
  • O ESPÍRITO DE VIDA - (Rm 8.2).
  • O ESPÍRITO DE REVELAÇÃO - (Ef 1.17,18).
  • O ESPÍRITO DE SANTIFICAÇÃO - " (Rm 1.4).
  • Conselheiro (Jo 14.16)
  • Testemunha: (Ro 8.16, Hb 2:4; 10:15)
NO ANTIGO TESTAMENTO
Ele dá vida.
O Espírito Santo estava presente na criação. Pelo seu sopro ela deu vida a todas as criaturas animadas na terra, no céu ou no mar, como está escrito: "Envias o teu Espírito, eles são criados" (Sl 104.30). incluindo o homem (## Jó 34.14-15). Portanto do Espírito Santo dá e sustenta a vida humana e animal.
Ele vinha de maneira individual
No Antigo Testamento, o Espírito Santo muitas vezes capacita pessoas para serviço a Deus.
  • Ele capacitou Josué com habilidades de liderança e sabedoria (Nm 27.18; Dt 34.9),
  • e deu poder aos juízes para libertar Israel de seus opressores (Otoniel em Jz 3.10, Gideão em 6.34, Jefté em 11.29 e Sansão em 13.25; 14.6, 19; 15.14).
  • sobre Saul a fim de levantá-lo para a batalha contra os inimigos de Israel (1Sm 11.6),quando Davi foi ungido rei e daquele dia em diante (1Sm 16.13),
Na vida de Jesus
O Espirito Santo foi responsável pela concepção de Jesus, descendo sobre Maria
O Espírito Santo desceu sobre Jesus por ocasião do seu batismo (Mt 3.16; Mc 1.11; Lc 3.22, (Jo 1.32).
Jesus foi para a tentação no deserto "cheio do Espírito Santo" (Lc 4.1);
Capacitou-o para o ministério, (Lc 4.14).
Estava presente nos milagres
Foi enviado como Consolador (Nos ajuda, ensina, guia e está conosco para enfrentar o mal (Jo.14:16)- o termo Parácleto, pode ser advogado ou ajudador
Ressuscitou a Jesus
O Espírito Santo na vida do cristão:
O momento em que o crente é selado com o Espírito, ou seja, recebe a habitação do Espírito Santo é a "conversão". Quando alguém crê em Cristo e é justificado por Deus, imediata e obrigatoriamente é habitado pelo Espírito (At 2.38 e 2Co 1.21,22).
O ESPÍRITO SANTO DÁ SINAIS MAIS FORTES OU MAIS FRACOS DA PRESENÇA E BÊNÇÃO DE DEUS, SEGUNDO NOSSA RESPOSTA A ELE
Muitos exemplos no Antigo e no Novo Testamento indicam que o Espírito Santo atua mais ou menos dependendo das escolhas da pessoa.
No Antigo Testamento o Espírito Santo veio poderosamente sobre Sansão várias vezes (Jz 13.25; 14.6, 19; 15.14), mas por fim o abandonou quando ele persistiu no pecado (Jz 16.20). Quando Saul persistiu na desobediência, o Espírito Santo se retirou dele (1Sm 16.14). E quando o povo de Israel se rebelou e entristeceu o Espírito Santo, este se voltou contra os israelitas (Is 63.10).
Paulo ensina que existe uma "medida" e que é possível "encher" do Espírito, logo o oposto também ocorre.
O Espírito Santo habita em "todos os crentes" (Jo 7.37-39; At 11.16,17; Rm 5.5; 1Co 2.12; 2Co 5.5; Ef 1.12-14; 1Pe 1.1,2; e 1Jo 4.13). Essa atuação também é chamada de "unção" ("crisma" - 1Jo 2.20,27 cf. Jo 14.26);
  • Concede discernimento sobre a Palavra e a vontade de Deus (Jo 16.12-15)..
  • Direciona as orações de acordo com a vontade de Deus (Rm 8.26; Ef 6.18).
  • Concede dons espirituais para a edificação dos crentes (1Co 12.7).
Embora disputada, as Escrituras mostram que mesmo cristãos em pecado ainda são a habitação do Espírito Santo (1 Co 6.18-20; ver 1 Co 5.5). Não há indícios que o Espírito Santo deixa de habitar um cristão verdadeiro (Ef 4.30 cf. Jd 24);
A habitação do Espírito Santo nos crentes atua como um "selo", uma marca de propriedade que comprova que os que foram salvos pertencem a Deus (2Co 1.22 e Ef 1.13).
Ele permanecerá até o final da vida daqueles que serão redimidos da existência em meio ao pecado (2Co 5.4,5; Ef 4.30 e 2Ts 2.13,14).
NA VIDA DA IGREJA
A partir do Pentecostes, o Espírito Santo tem uma atuação peculiar na Igreja de Cristo. As ações são descritas nas páginas do Novo Testamento.
Após ter descido sobre os discípulos de Jesus em Atos 2, a ação é vista na vida da igreja de diferentes maneiras.
Atuando na vida dos que pregavam o evangelho Estêvão (At 6.5,8), Felipe, Pedro, Paulo (Rm 15.19, 1Co 2.4)
Vermos na próxima lição como ele manifesta seus dons e ministérios.
De modo geral:
O ESPÍRITO SANTO UNIFICA
Quando o Espírito Santo foi derramado sobre a igreja no Pentecostes, Pedro proclamou que a profecia de Joel 2.28-32 fora cumprida (At 2.16-18).
O ESPÍRITO SANTO PURIFICA
A presença do Espírito Santo no crente efetivar uma influência positiva na edificação individual (Jo 14.26; Gl 5.25),
Ele auxilia na luta contra a carne e contra o pecado (Rm 8.13; Gl 5.16,17) e inibe atos de pecado (1Co 6.15-20 e Ef 4.30).
Por ser totalmente Santo, uma de suas principais atividades é convencer e purificar os cristãos do pecado no continuo processo de "santificação" (Jo 16.8-11; At 7.51).
Ele dá evidências da presença de Deus.
A obra do Espírito Santo não é chamar atenção para si, mas glorificar a Jesus e (Jo 16.14) e dar testemunho dele (Jo 15.26; At 5.32; 1Jo 2.3; 1Jo 4.2). Sua atuação é distinta, mas igualmente importante, pois ele guia e dirige o povo de Deus. Veremos mais sobre os dons e ministérios na lição seguinte.
Ele nos dá segurança.
O Espírito Santo foi dado como um "penhor", ou seja, uma "garantia". Sua habitação é a segurança de que a promessa de que Deus há de efetivar a obra que iniciou em nós (Ef 1.13,14 cf. Fp 1.6; Cl 1.21,22)
O Espírito Santo permanece conosco (Rm 8.16, (1Jo 3.24). 1Jo 4.13). O Espírito Santo não só testemunha a nós que somos filhos de Deus, mas também testifica que Deus permanece em nós e que estamos permanecendo nele. Ele também intercede por nós (Rm 8.26).
Ele ensina e guia.
A obra reveladora do Espírito Santo ao povo de Deus e os ilumina para que possa entendê-las, guiando-os em toda a verdade" (Jo 16.13 (Jo 14.26).

Pastora Eliane (Jó)

Minha lista de blogs

REGISTRE SUA VISITA AQUI