APRESENTAÇÃO

NO AR DESDE 01 DE JANEIRO DE 2014

Neste momento você também pode receber a Jesus Cristo como Salvador, simplesmente conversando com Ele… Em suas próprias palavras, diga de coração para Deus:

Deus, eu reconheço que tenho pecado contra Ti. Por favor, perdoa-me! Eu creio que Jesus Cristo morreu e ressuscitou para pagar o preço pelo meu pecado.
Jesus, entra em meu coração e purifica-me do meu pecado. Neste momento eu confio em Ti como meu único e suficiente Salvador.

Se você orou assim, e foi sincero, você hoje "nasceu de novo" na família de Deus, de acordo com 2 Coríntios 5.17: "E assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura: as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas."

Email

pastoraelianefcr@gmail.com

FALE COM A PASTORA QUI

VISITE NOSSAS PÁGINAS

VISITE NOSSAS PÁGINAS CLICANDO NOS TITULOS ABAIXO

Contato

SEJAM BEM VINDO! VOCE ESTA NO CANAL EVANGELÍSTICO, VOCE TAMBÉM PODE POSTAR AQUI, DEIXA SEU RECADINHO PARA NOS, ENVIE PARA ( pastoraelianefcr@gmail.com ) E DIGA PARA O CANAL EVANGELÍSTICO E SE SUA POSTAGEM FOR APROVADA PUBLICAREMOS AQUI.VOLTEM SEMPRE/span>

REGISTRE SUA VISITA AQUI

MANDE UM E-MAIL OU ESCREVA NO MURAL DENTRO DESSE TEMPO QUE VISITOU O BLOGUE E RECEBA POR EMAIL GRATUITAMENTE UM CERTIFICADO EM PDF DE CRISTÃO DA INTERNET

MANDE SEU EMAIL DIZER VISITEI O BLOGUE E RECEBA GRATUITO UM CERTIFICADO DE CRISTÃO NA NET

MANDE SEU EMAIL DIZER VISITEI O BLOGUE E RECEBA GRATUITO UM CERTIFICADO DE CRISTÃO NA NET
pastoraelianefcr@gmail.com

domingo, 14 de abril de 2019

Lição 14 Cristologia parte 3

Os Milagres de Cristo
O ministério de Jesus é caracterizado pelos seus ensinos. Mas diferentemente de outros rabis da época, era distinguido pelos milagres. Existe um amplo debate na teologia sobre a natureza e veracidade dos milagres, mas como já foi estabelecido aqui, entendemos que o testemunho das Escrituras são suficientes para atestar sua veracidade:
De uma maneira geral poderiam ser caracterizados assim:
  • milagres de transformação: Jesus transforma água em vinho e seca uma figueira;
  • exorcismos: Jesus expulsa demônios;
  • curas: Jesus elimina doença/deformação; perdoa pecados;
  • ressurreições: Jesus traz de volta a vida dos mortos, (3 casos);
  • milagres sobre a natureza: Jesus age sobre os elementos (vento e mar)
  • milagres de surgimento: Jesus faz surgir peixes, multiplica pães e peixes e faz aparecer moeda na boca do peixe;
  • milagres de habilidade: Jesus possui a habilidade de mudar as situações, escapando de perseguidores em Nazaré; aparece e desaparece como ressuscitado, ou saber os pensamentos das pessoas e os atos futuros;
  • milagres de epifania e transfiguração - a voz de Deus, a pomba;
  • outros milagres - o véu do templo que se rasgou, a ressurreição de mortos no momento da crucificação e subida aos céus.
A Obra de Cristo na Cruz
Por melhores que fossem os ensinamentos de Jesus, seu ministério não estaria completo sem a cruz. O Novo Testamento muitas vezes liga o sangue de Cristo com nossa redenção. Por exemplo, Pedro diz: "fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo" (1Pe 1.18-19).
A morte de Cristo não tem apenas "um" significado teológico. Ela pode ser vista sob vários aspectos, oferecendo diversos benefícios.
1 - A MORTE DE CRISTO FOI EM LUGAR DOS PECADORES
Conceito de expiação vicária - Um sinônimo para essa expressão é "substituição penal", de modo a significar que Cristo sofreu a punição do pecado de outros em lugar deles (1Pe 3.18);
No AT esse conceito aparece na oferta de animais por pecados cometidos pelos ofertantes (Lv 5.6). Isaías expôs, de modo profético, o caráter expiatório e vicário da morte de Cristo (Is 53.5,6). No NT esse conceito é muito presente e é expresso com o auxílio da preposição anti que significa "por", "em vez de", "em lugar de" (Mc 10.45; 1Tm 2.6) e da preposição hyper que significa "por", "em benefício de" (Jo 11.50,51; Rm 5.6-8; 2Co 5.21; Gl 3.13; Tt 2.14; 1Pe 3.18).
2 - A MORTE DE CRISTO FOI PARA A REDENÇÃO DOS PECADOS
Redenção significa "libertação mediante um pagamento". Significa que Jesus pessoalmente libertou os seus do pecado pagando, por isso, com seu próprio sangue (Cl 1.13,14);
Evidência da redenção - Esse conceito é expresso no NT com o auxílio das palavras: agorazo, que tem o sentido de "comprar algo no mercado" - o mercado se chamava "ágora" - (1Co 6.19,20; 7.22,23; 2Pe 2.1; Ap 5.9,10), exagorazo que tem o sentido de "comprar e levar para fora do mercado" (Gl 3.13; 4.5), e peripoiéo que significa "comprar", "manter a salvo", "preservar" (At 20.28).
3 - A MORTE DE CRISTO FOI PARA A RECONCILIAÇÃO DO HOMEM
Reconciliação significa "mudança de relacionamento". Onde havia hostilidade, agora há paz e harmonia entre as partes, sejam os homens entre si (Mt 5.24; 1Co 7.11), sejam os homens e Deus (Rm 5.1-11; 2Co 5.18-21; Ef 2.16; Cl 1.20).
4 - A MORTE DE CRISTO FOI PARA A PROPICIAÇÃO DE DEUS
Propiciação significa "tornar alguém propício ou favorável a outro". Deus, que era inimigo do homem perdido e estava irado contra ele, torna-se agora favorável ao homem. Ou seja, satisfaz a justiça de Deus.
Essa realidade fica clara tanto no AT (2Rs 13.3; Jr 21.12; Ez 8.18) como no NT (Jo 3.36; Rm 1.18; Ef 2.3; 1Ts 2.16). A propiciação de Deus foi efetuada na cruz, ocasião em que Deus lançou sobre Jesus a ira e o castigo pelos pecados da igreja, desviando dela a ira do Senhor (Rm 3.25; Hb 2.17; 1Jo 2.2; 4.10).
O FIM DA LEI
A morte de Cristo trouxe o "fim da Lei" (Rm 10.4). Esse texto pode ser interpretado de duas maneiras:
  • Cristo pôs fim à Lei;
  • Cristo cumpriu a Lei (cf. Mt 5.17).
Apesar de Cristo ter cumprido a Lei, Paulo defende que "o fim da Lei é Cristo" no sentido de Cristo ter posto um fim definitivo ao conceito de "salvação por obras" para ficar claro que "a salvação gratuita é pela fé em Cristo" (Rm 9.30-33). Isso mina a essência da fé judaica.
A lei vigente até então é Mosaica. Ela se divide basicamente em: lei moral, lei cerimonial e lei judicial. Apesar de haver quem defenda que Jesus aboliu apenas uma parte da Lei Mosaica, ela é uma unidade indivisível (Tg 2.10). Paulo inclui a própria lei moral no que ele chamou de "ministério da morte" (2 Co 3.7).
O motivo da abolição da antiga Lei é que houve a introdução de um sacerdócio superior (Hb 7.11,12). Apesar de os justos preceitos da Lei servirem de parâmetro de conduta para o cristão guiado pelo Espírito Santo (Mt 23.23; Rm 8.3,4), de modo algum o cumprimento das suas cláusulas podem trazer justiça (At 13.39; Rm 3.20; Gl 2.16)
A Ressurreição e a Ascensão de Cristo
Assim como os milagres, o testemunho das Escrituras é suficiente para atestar a realidade da RESSURREIÇÃO DE CRISTO
1 - A importância da ressurreição de Cristo
  • A ressurreição de Cristo confirmou a veracidade da sua palavra (Mt 20.19; 28.6), comprovando a credibilidade da sua obra;
  • Possibilitou que Cristo, vivo, atuasse diante da igreja como sumo sacerdote (Hb 4.15), advogado (1Jo 2.1) e cabeça (Ef 5.23);
  • Formou a base do evangelho que é pregado para a salvação dos pecadores (1Co 15.3-8), mediante o enfoque da justificação presente na ressurreição (Rm 4.25);
  • Deu esperança à igreja a respeito do seu futuro (1Co 15.13-19).
2 - As evidências da ressurreição de Cristo
  • Jesus apareceu para muitas pessoas depois de ressuscitar (At 2.32).
  • Ele apareceu para as mulheres (Mt 28.8-10);
  • para Pedro (Lc 24.34; 1Co 15.5),
  • para 2 discípulos a caminho de Emaús (Lc 24.13-32),
  • para os demais discípulos (Jo 20.19-25),
  • para Tomé (Jo 20.26-29),
  • para os discípulos no mar da Galileia (Jo 21.1-24),
  • para Tiago (1Co 15.7),
  • para mais de 500 pessoas de uma só vez (1Co 15.6)
  • e para Paulo (1Co 15.8).
Quando esses relatos foram escritos, a maioria dessas testemunhas estavam vivas e podiam ser consultadas sobre o evento, apontando para a veracidade dos relatos da ressurreição;
Além disso, a mudança radical de atitude e a visível determinação dos discípulos depois da ressurreição são grandes evidências de que algo muito marcante aconteceu. (Compare Mt 26.69-75 com At 5.27-32 e também Jo 20.19 com At 5.40-42).
A ASCENSÃO DE CRISTO
1 - As declarações sobre a ascensão de Cristo
  • No Antigo Testamento há duas referências (Sl 68.18 cf. Ef 4.8; Sl 110.1 cf. At 2.34,35);
  • Jesus anunciou que iria para o Pai (Jo 7.33; 14.12,28; 16.5,10,28) e que ascenderia ao céu (Jo 6.62; 20.17);
  • Lucas relata a ascensão de Cristo (Lc 9.51; 24.51; At 1.6-11);
d) Os apóstolos falaram da ascensão (Ef 4.10; 1Tm 3.16; Hb 4.14; 1Pe 3.22) e do atual estado de exaltação (Cl 3.1).
2 - A descrição da ascensão de Cristo
  • Jesus ascendeu aos céus estando ele e os discípulos sobre o Monte das Oliveiras (Lc 24.50;At 1.12).
  • Jesus literalmente foi elevado gradualmente às alturas, à vista dos discípulos, até que uma nuvem o encobriu e ele não mais foi visto (At 1.9);
  • Anjos surgiram e prometeram que Jesus voltaria corporal e visivelmente no futuro, assim como havia sido elevado à vista deles (At 1.11).
3 - O significado da ascensão de Cristo
A ascensão marcou o fim do ministério terreno de Cristo e da sua atuação humilhante como servo a fim de resgatar seu povo. Foi o início do seu ministério como cabeça da igreja e intercessor, além de ter iniciado operíodo de espera para sua volta gloriosa para julgar e reinar.
Um aspecto específico de Cristo ter subido para o céu e recebido honra é o fato de que ele assentou-se à destra de Deus. O Antigo Testamento predisse que o Messias sentar-se-ia à direita de Deus (Sl 110.1). Quando Cristo ascendeu de volta ao céu ele recebeu o cumprimento daquela promessa (Hb 1.3).
A ascensão de Cristo tem importância para a vida do cristão,visto que estamos unidos a Cristo em cada aspecto da obra de redenção, a ascensão de Cristo ao céu prefigura nossa ascensão futura com ele (1Ts 4.17).

FALANDO SOBRE DAVI

Seja Um Colaborador de Nosso Trabalho

SUA AJUDA NOS AJUDARÁ A MELHORAR NOSSO TRABALHO

SUA AJUDA NOS AJUDARÁ A MELHORAR NOSSO TRABALHO
pastoraelianefcr@gmail.com

Pastora Eliane (Jó)