APRESENTAÇÃO

NO AR DESDE 01 DE JANEIRO DE 2014

Neste momento você também pode receber a Jesus Cristo como Salvador, simplesmente conversando com Ele… Em suas próprias palavras, diga de coração para Deus:

Deus, eu reconheço que tenho pecado contra Ti. Por favor, perdoa-me! Eu creio que Jesus Cristo morreu e ressuscitou para pagar o preço pelo meu pecado.
Jesus, entra em meu coração e purifica-me do meu pecado. Neste momento eu confio em Ti como meu único e suficiente Salvador.

Se você orou assim, e foi sincero, você hoje "nasceu de novo" na família de Deus, de acordo com 2 Coríntios 5.17: "E assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura: as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas."

Email

pastoraelianefcr@gmail.com

FALE COM A PASTORA QUI

sábado, 13 de abril de 2019

Lição 13 Cristologia parte 2

0 comentários

Assim como Deus revelou um pouco de sua natureza através dos títulos que recebei, Jesus também recebe outras denominações na Bíblia:
  • Emanuel (Mt 1.23)
  • Filho De Davi (Lc 20.41)
  • Filho De Deus (Jo 1.34)
  • Filho Do Homem (Mt 25.31)
  • Salvador (Mt.1:18-25);
  • Príncipe Da Paz (Is.9:7).
  • Senhor (At 2.36)
  • Verbo (Jo 1.1-14);
  • Servo (Fp 2.7);
  • Servo Do Senhor (Is.53);
  • Cordeiro De Deus (Jo 1.29);
  • Sumo-Sacerdote.(Hb 7.26; Hb.8.6);
  • Mediador (1 Tm 2.5);
  • O Pão da Vida (Jo:6:35; Jo.6:41; Jo.6:48; Jo.6:51);
  • A Luz (Jo.8:12;Jo.12:46;);
  • A Porta (Jo.10:7; Jo.10:9);
  • O Bom Pastor (Jo.10:11;Jo.10:14);
  • A Ressurreição e a Vida (Jo.11:25);
  • O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA (Jo.14:6);
  • A VIDEIRA VERDADEIRA (Jo.15:1; Jo.15:5)
  • REI (Jo.18:37);
  • SENHOR (At.9:5;At.22:8;At.26:15;);
  • SANTO (1 Pe.1:16);
  • ALFA E ÔMEGA (ETERNO) (Ap.1:8,11,17,18;Ap.21:6; Ap.22:13);
  • RAIZ E GERAÇÃO DE DAVI E ESTRELA DA MANHÃ (Ap.22:16);
Esses títulos dizem respeito tanto a sua natureza divina quanto humana. Essa é uma questão tão importante que uma das heresias mais danosas do primeiro século chamava-se docetismo. Ela afirmava que Jesus não era homem. Essa era uma questão tão séria que quando João escreveu sua primeira epístola, afirmou que se tratava de uma doutrina do anticristo (1Jo 4.2-3).
Entendendo que Jesus necessariamente era plenamente humano
Para possibilitar uma obediência representativa. Jesus era nossorepresentante e obedeceu em nosso lugar naquilo que Adão falhou e desobedeceu. Existem paralelos claros entre a tentação de Jesus (Lc 4.1-13) e a prova de Adão e Eva no jardim (Gn 2.15-3.7). Paulo aborda os paralelos entre a desobediência de Adão e a obediência de Cristo em Romanos 5.18-19.
Para ser um sacrifício substitutivo. Se Jesus não fosse homem, nãopoderia ter morrido em nosso lugar e pago a penalidade que nos cabia. O autor de Hebreus diz: "convinha que, em todas as coisas, se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote nas coisas referentes a Deus e para fazer propiciação pelos pecados do povo" (Hb 2.16-17; cf. v. 14).
Para ser o único mediador entre Deus e os homens. Estávamos longes de Deus por causa do pecado, por isso necessitávamos de alguém que se colocasse entre Deus e nós e nos levasse de volta a Ele. Esse mediador precisaria nos representa diante de Deus e representar Deus para nós. Jesus que preencheu esse requisito: "Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem" (1Tm 2.5). Essa função de mediador reforça o conceito que Jesus tinha de ser plenamente homem e plenamente Deus.
Para compadecer-se como sumo sacerdote. O autor de Hebreus lembra que se Jesus não tivesse existido na condição de homem, não teria sido capaz de conhecer por experiência o que sofremos em nossas tentações e lutas nesta vida (Hb 2.18; cf. 4.15-16). A imagem do sumo-sacerdote é uma figura clara de mediador no Antigo Testamento.
Para ser nosso exemplo e padrão na vida. João mostra isso em 1Jo 2.6 e 1Jo 3.2-3. Paulo nos diz que somos "transformados [...] na sua própria imagem" (2Co 3.18), e que devemos ser "conformes à imagem de seu Filho" (Rm 8.29). Pedro afirma que Cristo nos dá o exemplo contínuo (1Pe 2.21).
Para ser o padrão de nosso corpo redimido. Jesus ressuscitou num novo corpo "na incorrupção [...] em glória [...] em poder [...] corpo espiritual" (1Co 15.42-44). Esse novo corpo ressurreto de Jesus aponta como será nosso corpo quando formos ressuscitados dos mortos, porque Cristo é "as primícias" (1Co 15.23).
Jesus será um homem para sempre
Cristo não abandonou a natureza terrena após sua morte e ressurreição. Ele apareceu aos discípulos como homem após a ressurreição, preservando as cicatrizes dos cravos nas mãos (Jo 20.25-27). O NT afirma que ele possuía carne e ossos (Lc 24.39) e comia (Lc 24.41-42).
O JESUS-HOMEM
Estabelecido o entendimento de sua humanidade, vamos aprofundar a questão do Jesus "homem". Existem mais de 200 profecias sobre o Messias no Antigo Testamento, durante seus anos de vida na terra, Jesus cumpriu muitas delas. Existem várias que ainda cumprirá na segunda vinda, especialmente as que dizem respeito ao Messias governando o mundo,
O nome Jesus significa "Jeová é salvação", sendo a forma grega de "Josué" (Mt 1.21). O termo Cristo foi incorporado quando houve o reconhecimento de que ele era o "Ungido", pois é a forma grega do termo hebraico MESSIAS (At 17.3).
A HUMANIDADE DE CRISTO
O nascimento virginal é uma questão dogmática, que não pode ser "provado" a não ser pelo testemunho das Escrituras. O Novo Testamento afirma claramente que Jesus foi concebido no ventre de sua mãe, Maria, por obra miraculosa do Espírito Santo e sem um pai humano. José apenas o criou como pai.
As genealogias mostram sua linhagem humana. Mateus apresenta 41 nomes (até Abraão) da linhagem materna, enquanto Lucas aponta 77 (até Adão) da linhagem paterna.
Características da humanidade
a. Jesus possuía um corpo humano.
O fato de que Jesus possuía um corpo humano exatamente como o nosso. Ele nasceu assim como nascem todos os bebês humanos (Lc 2.7). Ele viveu assim como crescem todas as outras crianças judias de sua época (Lc 2.40).
b. Jesus possuía uma mente humana.
O fato de Jesus ter crescido em sabedoria (Lc 2.52) significa que ele passou por um processo de aprendizado assim como acontece com todas as outras crianças ? ele aprendeu a comer, a falar, a ler e a escrever, e a ser obediente a seus pais (veja Hb 5.8).
c. Jesus possuía alma/espírito humano emoções humanas
Existem várias indicações de que Jesus possuía alma humana (ou espírito). Logo antes de sua crucificação disse que sua alma estava angustiada (Jo 12.27). João também escreve que Jesus "angustiou-se em espírito" (Jo 13.21).
Sentia emoções (Mt 9:36; 14:14; 15:32; 20:34), mais especificamentetristeza e angústia (Mt 26:37)alegria (Jo 15:11; 17:13; Hb12:2)indignação (Mc 3:5; 10:14)ira (Mt 21: 12,13) Se comove e chora (Jo 11:33,35,38)As pessoas próximas de Jesus consideravam-no apenas humano.
Provavelmente por isso foi rejeitado na sua própria cidade de Nazaré, onde o povo que o conhecia havia muitos anos não o recebeu (Mt 13.53-58)
O título "Filho do Homem"
Esse é um termo que causa amplo debate. Primeiramente deve-se entender que o termo não era utilizado em seus dias como é hoje. Chegando ao Novo Testamento, "filho do homem" é usado quase exclusivamente para falar sobre Jesus.
O próprio Cristo utilizou esta expressão para se identificar (Mt 8:6; 9:20; 11.18, entre outros). O título aparece mais de 80 vezes nos evangelhos e também em Atos dos Apóstolos 7,56, em Hebreus 2,6 e em Apocalipse 1,13 e 14,14
Fazendo isso, enfatiza sua própria humanidade, que se fez carne e habitou entre homens (Jo 1:14). Mas esta descrição jamais é usada para sugerir que Jesus era mero homem.
Para os judeus, o termo fora usado profeticamente Daniel e Ezequiel.
Em João 6:62 ele diz: "Que será, pois, se virdes o Filho do Homem subir para o lugar onde primeiro estava?" Estevão disse que viu "o Filho do Homem, em pé à destra de Deus" (Ato 7:56). Ou seja, ele usava esse título como uma maneira de enfatizar que era humano, mas não o separava de Deus.
O Ministério de Cristo
Na teologia, uma grande ênfase é dada aos chamados "ofícios de Cristo". Como veio como Messias dos judeus e para os judeus, os três cargos mais importantes que poderiam existir para o povo de Israel no Antigo Testamento eram: o profeta, o sacerdote e o rei.
Esses três ofícios eram distintos.
O profeta falava as palavras de Deus ao povo;
o sacerdote oferecia sacrifícios, orações e louvores a Deus em favor do povo;
e o rei governava o povo como representante de Deus.
1 - CRISTO COMO PROFETA
O AT previa a atuação de Jesus como um profeta (Dt 18.15) e é identificado no NT como tal (At 3.22-24). O próprio Jesus afirmou ser um profeta (Mt 13.57; Mc 6.4; Lc 4.24 e 13.33; Jo 4.44) e entregava aos homens a mensagem de Deus assim como faziam os profetas (Jo 8.26; 12.49-50; 15.15; 17.8);
A atuação de Cristo como profeta - Jesus proclamou a mensagem de Deus pela pregação e pelo ensino (Mt 4.17; 7.29).
Para isso Jesus usava as sinagogas (Mc 1.21) ou ambientes ao ar livre quando não tinha um espaço fechado disponível (Mc 4.1).
Sua pregação era repleta de ilustrações (Mt 24.40-41; Lc 15.4,8) e cheia de perguntas (Mt 22). Diferente da dos escribas e fariseus, sua pregação possuía autoridade (Mc 1.22);
A autenticação de Cristo como profeta - A confirmação das profecias de Cristo mostra que de fato ele falava palavras verdadeiras que vinham de Deus, como ao prever que seria traído por alguém próximo (Mt 26.21), que seria entregue à morte pelos líderes dos judeus (Mt 16.21) e que morreria crucificado e ressuscitaria no terceiro dia (Mt 20.19).
2 - CRISTO COMO SACERDOTE
Jesus foi sacerdote da ordem de Melquisedeque (Hb 5.6,10; 6.20 cf. Sl 110.4). Isso não quer dizer que Melquisedeque era Jesus (Hb 7.3), mas que o sacerdócio de Jesus é superior ao sacerdócio levítico (Hb 7.4-19);
A atuação de um sacerdote - No Antigo Testamento, os sacerdotes eram designados por Deus "santificar" as pessoas, ou tornavam-nas aceitáveis à presença de Deus, se bem que de forma limitada durante o período do Antigo Testamento. No Novo Testamento, Jesus tornou-se nosso grande sumo sacerdote. Esse tema é bem desenvolvido na carta aos Hebreus, na qual vemos que Jesus atua como sacerdote de duas maneiras.
1. Jesus ofereceu um sacrifício perfeito pelo pecado.
Não foi o sangue de animais como touros ou bodes: (Hb 10.4). Em vez disso, Jesus ofereceu a si mesmo como sacrifício perfeito: (Hb 9.26).
2. Jesus nos aproxima continuamente de Deus.
Os sacerdotes do Antigo Testamento além de fazer sacrifícios, compareciam de modo representativo na presença de Deus, de tempos em tempos, em favor do povo. Como nosso perfeito sumo sacerdote, ele continuamente nos conduz à presença de Deus, de forma que não temos mais a necessidade de um templo nem de um sacerdócio especial em Jerusalém. Por isso nas orações o fazemos "em nome de Jesus".
3. Como sacerdote, Jesus ora continuamente por nós.
Outra função dos sacerdotes era orar a favor das pessoas. O autor de Hebreus nos diz que Jesus também cumpre essa função de intercessor(Hb 7.25). Paulo afirma a mesma coisa quando diz que Cristo Jesus é aquele que intercede por nós (Rm 8.34).
3 - CRISTO COMO REI
  • A profecia - Isaías profetizou o nascimento de uma criança que se estabeleceria no trono de Davi e reinaria sobre ele (Is 9.7);
  • O anúncio - Gabriel anunciou a Maria o que Isaías tinha profetizado (Lc 1.32-33);
  • A aclamação - Jesus foi aclamado pelo povo como rei (Jo 12.13-15);
  • A declaração - Jesus declarou ser rei (Mt 27.11). 47
No Antigo Testamento o rei tinha autoridade para governar a nação de Israel. No Novo Testamento, Jesus nasceu para ser o Rei dos judeus (Mt 2.2), mas recusou o poder militar e político terreno (Jo 6.15). Ele disse a Pilatos: "O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus ministros se empenhariam por mim, para que não fosse eu entregue aos judeus; mas agora o meu reino não é daqui" (Jo 18.36). No céu ele é chamado de "Rei dos reis e Senhor dos Senhores" (Ap 17:4 e 19.16) Esse ofício se revelará em sua totalidade na segunda vinda e reino milenar.

Pastora Eliane (Jó)

Minha lista de blogs

REGISTRE SUA VISITA AQUI