APRESENTAÇÃO

NO AR DESDE 01 DE JANEIRO DE 2014

Neste momento você também pode receber a Jesus Cristo como Salvador, simplesmente conversando com Ele… Em suas próprias palavras, diga de coração para Deus:

Deus, eu reconheço que tenho pecado contra Ti. Por favor, perdoa-me! Eu creio que Jesus Cristo morreu e ressuscitou para pagar o preço pelo meu pecado.
Jesus, entra em meu coração e purifica-me do meu pecado. Neste momento eu confio em Ti como meu único e suficiente Salvador.

Se você orou assim, e foi sincero, você hoje "nasceu de novo" na família de Deus, de acordo com 2 Coríntios 5.17: "E assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura: as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas."

Email

pastoraelianefcr@gmail.com

FALE COM A PASTORA QUI

sexta-feira, 27 de julho de 2018

A biografia de Abel e Caim

Abel no Novo Testamento

O Novo Testamento traz referências a Abel como em Mateus 23:35 e Lucas 11:51, onde Abel é apresentado como um modelo de mártir que sofre por sua fé, quando o próprio Jesus deu testemunho dele. Em I João 3:12 também é testificado sobre quão justas as obras de Abel foram.

Conforme já foi citado, no capítulo 11 da Carta aos Hebreus ele aparece na galeria dos Heróis da Fé (Hb 11:4). Ainda em Hebreus, o escritor neotestamentário deixou claro que a oferta de Abel era superior à oferta de Caim, porém foi inferior à oferta de Jesus Cristo.

Abel foi o segundo filho do casal Adão e Eva que acabou sendo morto por seu irmão mais velho, Caim. Na verdade não existem muitas informações na Bíblia sobre quem foi Abel, sendo a principal referência sobre ele o breve relato no Livro de Gênesis e algumas outras citações no Novo Testamento.


 O significado do seu nome:




 O significado de seu nome é, provavelmente, algo como fôlego, ou vapor, ou simplesmente nada. Algo considerável perecível, como se fosse um pré-aviso de seu destino, morto ainda bem jovem. Foi chamado de "justo


Abel  foi o segundo filho de Adão e Eva e irmão de Caim. Ao contrário de Adão e de Caim que eram agricultores, Abel tornou-se pastor, simbolizando assim as duas artes essenciais no momento em que foi escrita a sua história. De acordo com o relato bíblico do Gênesis, Caim terá oferecido a Deus frutos da terra enquanto Abel Lhe ofereceu cordeiros primogênitos do seu rebanho e as gorduras destes, considerado como a melhor das ofertas. A ver que Deus olhou favoravelmente para a oferta de Abel mas não para a de Caim, este último encheu-se de cólera e, apesar da advertência de Deus, atraiu-o ao campo e aí o terá matado. Abel torna-se assim no primeiro a oferecer a Deus um sacrifício animal e na primeira vítima da violência religiosa.

Algo interessante sobre Abel é que ele foi o primeiro pastor de ovelhas, o primeiro a oferecer sacrifícios de animais nos registros bíblicos (talvez Adão tivesse feito antes dele), o primeiro homem declarado justo na Bíblia e o primeiro mártir.

Sobre o significado do nome Abel, alguns defendem que significa “sopro”, “vapor”, aplicado talvez por causa de sua curta existência. Outros intérpretes defendem que o nome esteja ligado ao acadiano aplu que significa “filho”, porém devido a dificuldade de saber que tipo de idioma era falado naquele tempo tudo não passa de conjecturas.

O sacrifício de Abel

Abel oferecia a Deus “os primogênitos do rebanho”, e este sacrifício foi mais agradável a Deus do que o sacrifício oferecido por seu irmão, Caim, que consistia em um composto de grãos e vegetais.

Não está exatamente explicito no texto se sua oferta foi preferida por Deus pelo fato de incluir vida (sacrifício animal), ou porque ele realizou a sua oferta com um espírito mais sincero. Essa última posição parece ser a mais coerente considerando o alerta de Deus a Caim em Gênesis 4:7 e a referência feita pelo autor de Hebreus (Hb 11:4), nos levando a crer que a forma com que Deus aceitou a oferta de Abel provavelmente esteja diretamente ligada ao seu caráter diferenciado.



Abel, o primeiro Justo



Gênesis  4:1

Conheceu Adão a Eva, sua mulher; ela concebeu e, tendo dado à luz a Caim, disse: Alcancei do Senhor um varão.2 Tornou a dar à luz a um filho-a seu irmão Abel. Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra.



Ancestrais: Adão e Eva

Natural: região da Antiga Mesopotâmia

Profissão: Pastor de Gado

Estado Civil: Solteiro, não deixou descendentes

Característica Especial: Servo de Deus, dono de uma Fé e de um Testemunho reconhecido por Cristo Jesus e por todos os servos de Deus.

Morte: Assassinado por seu irmão mais velho Caim




Curiosidades: sobre Abel:

O segundo filho do casal Adão e Eva
O terceiro homem a habitar a terra
 depois de Adão, Abel pode ser considerado o pai dos pastores de gado: pastor, vaqueiros, tosquiador...
Foi o 4º quarto ser humanoFoi um Homem prospero e exemplar em tudo
seu sangue até hoje clama por justiça,
O Oferta de Abel agradava ao SENHOR devido a sua sinceridade, gratidão e fidelidade, antes, durante e após a oferta (Gn. 4:4) 
Caim já pagou parte do preço em vida, o resto será cobrado na eternidade.
Abel foi o segundo filho do casal Adão e Eva,
Era temente a Deus e fiel a Deus em tudo,
Como profissão entre a lavoura e o gado, escolheu apascentar o gado.
Abel aprendeu as técnicas de pastoreio com seu pai Adão,
Foi prospero em sua escolha por causa de de sua fidelidade para com Deus, e por sua habilidade no negocio,
Sua prosperidade incomodava a seu irmão mais velho Caim.
Abel possivelmente era um excelente conselheiro para seus pais e seu irmão.(2ª Sm. 20:18)
Lugares importante passaram a levar o nome de Abel como lembrança (1ª Sm. 6:18)
Adão ensinou a Abel todas as atividades de apascentamento de Gado, isto incluir extrair lã das ovelhas (tosquiar), ordenha, auxiliar estes animais no parto, cuidar das feridas e doenças no rebanho, tipos de pastos, preparar manteiga, queijo e outros derivados do leite e da carne animal.
                       
Adão ensinou a seu filho Abel o tipo de animal perfeito para ofertar como sacrifício a Deus, o animal teria que ser perfeito, de um ano, foi orientado a levar as primícias ao Senhor Deus, estas primícias consistia em retirar do rebanho um cordeiro ou novilho em perfeito estado de cada dez(dízimo)
     
   
                       Testemunho de Abel  


          O Testemunho de Abel fala tão alto que foi o primeiro a ser citado na galeria dos Heróis da Fé




 Hebreus  11:3 Pela fé entendemos que os mundos foram criados pela palavra de Deus; de modo que o visível não foi feito daquilo que se vê. 4 Pela fé Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho das suas oferendas, e por meio dela depois de morto, ainda fala.

                Abel não tinha duvidas que Deus era o criador de todas as coisas
                Abel oferecia o seu melhor para Deus
                Abel alcançou testemunho de que era justo

                Abel sempre oferecia oferendas para Deus
                Abel teve seu testemunho lembrado por Cristo (Mt. 23:35)

 - Abel teve suas obras vistas como justas por Deus e por todos os justos.
 - Enquanto as Obras de Caim são consideradas malignas.

1ª Carta de João 3:12 não sendo como Caim, que era do Maligno, e matou a seu irmão. E por que o matou? Porque as suas obras eram más e as de seu irmão justas.



                        
                         
Como pastor aprendeu a ser paciente com as pessoas, sabia esperar, e lidar com as diferenças, pois o comportamento do gado em especial as ovelhas, tem algumas semelhanças com os humanos, tratando-se da necessidade de atenção, cuidado, afeto, as vezes ou quase sempre vacilante, ingenuidade em alguns ou quase todos aspectos, o ser humano assim como as ovelhas precisam ser conduzidos e não alienados.

Vitima da Inveja, ódio e Ciúme descontrolado de Caim



A oferta de Caim se constitui então do resultado de muito esforço humano. Era um trabalho muito dispendioso a agricultura primitiva. Muito arado, muito suor, muita ralação, bolhas e calos nas mãos.

E Caim ainda tinha que aprender, imaginar, desenvolver e aplicar o seu conhecimento no plantio e cultivo da sua produção agrícola. Exigia muita intervenção de Caim nos processos do seu trabalho.

Caim colhe, com confiança, da sua produção, fruto do seu muito esforço, e traz uma oferta para Deus. Uma oferta que mostrava a sua capacidade de intervir na natureza e nos processos de causa e efeito.

A oferta de Caim trazia em si o valor da estética, a beleza de um arranjo vegetal lindo! Um altar vegetal, com muitas frutas e legumes multicoloridos.

O encantamento visual deste tipo de altar é algo espetacular! Sem falar no cheiro suave destes produtos frescos. Os melhores da sua cultura.

A oferta de de Caim é a oferta do esforço, da confiança no seu trabalho, em uma tentativa de seduzir a atenção divina, pelo uso da estética visual.

Abel, entretanto traz para Deus uma oferta das primícias do seu rebanho. Uma oferta de sangue, oferecendo algo que a própria natureza já quase que por si só havia criado. Uma oferta que mostrava a sua incapacidade.

A Oferta de Abel traz o contraste sanguinolento e feio de um animal degolado e o sangue escorrendo e lavando todo o altar.

A oferta de Abel faz uma afirmação implícita de que havia a necessidade de um substituto, que fosse vicarizado e pagasse pelo pecado do ser humano. Pois sem isso, não se podia agradar a Deus e nem haver uma autojustificação.

A oferta de Abel aponta para a fé, o descanso e a confiança em Deus.

A oferta de Caim representa as religiões da terra, que buscam a justificação por meio de um esforço meritório. Essas religiões buscam uma obra, um sacrifício, um sofrimento auto-imposto para a sua própria justificação.

Já Abel ofereceu um sacrifício que carregava a semente do cordeiro que foi imolado antes da fundação do mundo. Este cordeiro foi materializado na crucificação de Jesus.

"Pela fé Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e por ela, depois de morto, ainda fala." Hebreus 11:4
Aquele sacrifício que não exigiu tanto esforço humano, já mostrava que a justificação só se alcança pela fé. Somente pela fé se pode agradar a Deus. Isso não vem de nós, como Caim pensou, mas é dom de Deus.

Para o Deus de Abel não há estética, não há obras de justificação, há somente sangue. Pois o sangue de um inocente foi necessário para tomar o nosso lugar, afim de trazer a pacificação de Deus com a humanidade.

Assim, Deus está pacificado com o Mundo. Hoje é possível agradá-lo, porém ao trazer sua oferta de louvor, lembre-se que não é por seu merecimento, mas é pelo sangue e somente pelo sangue de Jesus que podemos à ele se chegar.


É Óbvio que a inveja, o ódio, o ciúme, todos nós estamos sujeitos a sentir, mas devemos controlar esses desejos e dispensa-los, pois não temos a necessidade deles. Deus nos faz prosperar, ele nos ama, e devemos amar nosso semelhante.
Todavia Caim não pensava assim, deixou a Inveja, o ódio e o Ciúme crescerem dentro de si. Talvez pensasse em ficar com a herança do irmão só para ele, ou procurou um modo de chamar Atenção de Deus para ele, ou ainda como primogênito era acostumado a ser o centro das atenções, com a existência de Abel todas as atenções eram divididas.
      

        
Caim conseguiu chamar a atenção de Deus e toda a humanidade para ele, no entanto da pior maneira possível. Enquanto Abel chamou a atenção de Deus e de todas para si da forma mais positiva possível.

Hebreus 11: 4 Pela fé Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho das suas oferendas, e por meio dela depois de morto, ainda fala.

                
O descontrole desses sentimentos causam desastres, desgraças, males incontáveis... Por isso precisam ser contidos. 

Gn. 4: 3 Ao cabo de dias trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao Senhor.
4 Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura. Ora, atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta,
5 mas para Caim e para a sua oferta não atentou. Pelo que irou-se Caim fortemente,

                           
Caim foi na contra-mão do Conselho de Deus, ele não possuía motivos justos para queixar se de Deus, porque mesmo ele ofertando de modo improprio para Deus, ainda assim Deus falou com ele aconselhando-o para o Bem, e prosperasse como Abel.

Gn. 4: 6 Então o Senhor perguntou a Caim: Por que te iraste? e por que está descaído o teu semblante?7 Porventura se procederes bem, não se há de levantar o teu semblante? e se não procederes bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo; mas sobre ele tu deves dominar.

Gn. 4:8 Falou Caim com o seu irmão Abel. E, estando eles no campo, Caim se levantou contra o seu irmão Abel, e o matou.

              
A Vida de Caim ficou maculada como o primeiro Assassinato com registro na História da Humanidade. (O 1º Boletim de Ocorrência com óbito- Homicídio Doloso, aquele praticado com a intenção de matar) pois ao utilizar um instrumento Caim sabia que ao ferir o irmão com ele podia mata-lo, porque não?

                             
Caim sentenciado por Deus 

               
Caim já pagou parte do preço em vida, o resto será cobrado na eternidade.

         
Gn. 4:9 Perguntou, pois, o Senhor a Caim: Onde está Abel, teu irmão? Respondeu ele: Não sei; sou eu o guarda do meu irmão?10 E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue de teu irmão está clamando a mim desde a terra.11 Agora maldito és tu desde a terra, que abriu a sua boca para da tua mão receber o sangue de teu irmão.12 Quando lavrares a terra, não te dará mais a sua força; fugitivo e vagabundo serás na terra.


Sinais de Caim

Maldição: Agora maldito és tu desde a terra      
- Deus amaldiçoou Caim, as bênçãos celestes e terrestres não mais chegariam para Caim.


 Miséria: Quando lavrares a terra, não te dará mais a sua força
- Caim trabalharia inutilmente para prosperar, e jamais iria progredir na vida.



- fugitivo: O Medo de tudo e de todos, Caim passou a ser um Homem cheio de temores, logo de imediato: '...e qualquer que me encontrar matar-me-á.'. Caim temia a seus pais que amavam a Abel e temia as gerações futuras, que poderia desejar o sangue de Abel derramado por Caim?




-Vida Errante: Tudo que Caim faria daria errado, vagabundo seria, no sendo de andar sem rumo, sem uma parada certa, andarilho pelo mundo, sem moradia fixa.

13 Então disse Caim ao Senhor: É maior a minha punição do que a que eu possa suportar.14 Eis que hoje me lanças da face da terra; também da tua presença ficarei escondido; serei fugitivo e vagabundo na terra; e qualquer que me encontrar matar-me-á.
Compare com Mateus 23: 35

Mt. 23:35 Para que sobre vós caia todo o sangue justo, que foi derramado sobre a terra, desde o sangue de Abel, o justo, até o sangue de Zacarias, filho de Baraquias, que mataste entre o santuário e o altar.



- Peso de Culpa na Consciência




Gn. 4:13 Então disse Caim ao Senhor:

É maior a minha punição do que a que eu possa suportar.
Gn. 4:14...serei fugitivo e vagabundo na terra;

- Sentir a Ausência constante e eterna de Deus: Caim passou a ser rejeitado por Deus e o Espírito de Deus, não auxiliaria Caim para aproximar-se de Deus, fazendo de Caim um eterno condenado por causa do sangue de um justo chamado Abel.

Gn. 4:14 Eis que hoje me lanças da face da terra;
também da tua presença ficarei escondido;

Depois desse triste episódio Adão e Eva geram filhos e filhas para que a Humanidade não fosse extinta.

 Gn. 4:25 Tornou Adão a conhecer sua mulher, e ela deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Sete; porque, disse ela, Deus me deu outro filho em lugar de Abel; porquanto Caim o matou.


26 A Sete também nasceu um filho, a quem pôs o nome de Enos. Foi nesse tempo, que os homens começaram a invocar o nome do Senhor.


 Abel no Novo Testamento


O Novo Testamento traz referências a Abel como em Mateus 23:35 e Lucas 11:51, onde Abel é apresentado como um modelo de mártir que sofre por sua fé, quando o próprio Jesus deu testemunho dele. Em I João 3:12 também é testificado sobre quão justas as obras de Abel foram.

Conforme já foi citado, no capítulo 11 da Carta aos Hebreus ele aparece na galeria dos Heróis da Fé (Hb 11:4). Ainda em Hebreus, o escritor neotestamentário deixou claro que a oferta de Abel era superior à oferta de Caim, porém foi inferior à oferta de Jesus Cristo.


Há três lições importantes que podemos tirar da história de Caim e Abel.


1. O requisito básico para que o culto de alguém seja aceito por Deus.

Segundo o relato bíblico, Caim também seria aceito caso abandonasse seu pecado (Gn 4.7), o que mostra que a pureza do coração do adorador está acima da grandeza ou pompa dos seus rituais religiosos. Temos de lembrar disso quando vamos à igreja ou realizamos qualquer outro serviço a Deus.

2. As formas usadas pelos maus para destruir os servos do Senhor.

Caim aproximou-se amigavelmente de Abel e lhe fez um convite agradável. "Vamos ao campo", disse ele (Gn 4.8)

Uma vez no campo, Caim usou de violência e matou o próprio irmão. A aproximação amigável e a violência aberta, além de meios de ataque usados por Caim, estabeleceram precedentes que perduram ao longo dos séculos. Até hoje, cristãos fiéis têm suas vidas destruídas porque ingenuamente atendem aos convites amigáveis e aparentemente inofensivos de pessoas que vivem no pecado.

Outros sofrem debaixo da segunda estratégia, a violência aberta, e são perseguidos e odiados pelos simples fato de agradar a Deus no seu dia-a-dia. Temos de ter cuidado. Quem vive no pecado, geralmente usa um desses meios para derrubar os que vivem para Deus.

3. A divisão da humanidade em pessoas que pertencem a duas pátrias distintas.

Observe que Caim fundou a primeira cidade de que se tem notícia (Gn 4.17) . Com isso, tornou-se o símbolo daqueles que pertencem a este mundo e têm aqui seu coração e tesouros. Por outro lado, há um sentido em que também Abel fundou uma cidade. Isso porque ele foi o primeiro personagem bíblico que partiu para o reino celestial.

Foi a primeira alma humana a ir para o céu, a morada dos salvos, precedendo todos aqueles que, pela fé em Jesus, têm a cidadania celestial. O Apóstolo Paulo, ao escrever aos cristãos, disse que eles tinham essa cidadania: "A nossa cidadania, porém, está nos céus, de onde esperamos ansiosamente o Salvador, o Senhor Jesus Cristo" (Fp 3.20) . E o autor da carta aos Hebreus diz que os grandes homens de fé "esperavam uma pátria melhor, isto é, a pátria celestial. Por essa razão Deus não se envergonha de ser chamado o Deus deles, e lhes preparou uma cidade" (Hb 11.16)

Assim, Caim e Abel inauguraram cidades distintas: uma, a terrena, fundada sobre o orgulho e o medo, destinada à destruição; outra, a celeste, fundada na fé e no temor de Deus, uma cidade inabalável e permanente. A humanidade inteira está dividida entre uma e outra. Cada um de nós é cidadão de uma delas. Você sabe a qual pertence?

Como se vê, a história desses dois irmãos nos fala ainda hoje. Por ela somos desafiados a adorar a Deus com pureza e fé; a termos cautela com os que vivem no pecado; e a buscarmos a cidadania celeste pela fé no Salvador, a fim de chegarmos naquela pátria há tanto tempo inaugurada e a encontrarmos com os portões abertos.

Deus abençoe!





Aqui você também tem espaço. Abrimos as páginas para aqueles que desejarem ser colaborador e evangelizar conosco através de suas postagens. Envie seu material para: pastoraelianefcr@gmail.com e se sua matéria for aprovada estaremos publicando. Seja um colaborador do Blogue LEVANDO JESUS e EVANGELIZE AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

2 anos de ordenação pastoral Pra. Eliane. Recordação

Aqui você também tem espaço. Abrimos as páginas para aqueles que desejarem ser colaborador e evangelizar conosco através de suas postagen...

FORMAÇÃO BLOGUEIRA E JORNALISTA

FORMAÇÃO BLOGUEIRA E JORNALISTA

siga_nos no google e neste blogger